Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/06/2018

Brasília, 28 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os desdobramentos do embate comercial entre EUA e China, principalmente em relação à postura de Washington sobre investimentos externos pesa no humor dos investidores internacionais. O temor de um agravamento de uma guerra comercial de grandes proporcões entre os EUA e seus principais parceiros impõe perda das bolsas europeias e volatilidade nos futuros de bolsa de Nova Iorque. As commodities operam em baixa e o dólar trabalha volátil ante as moedas externas.

Interno: o calendário econômico entra no foco com a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) pelo Banco Central e a alta de 1,87% do IGP-M de junho, acima das expectativas (1,77%) do mercado. Quanto ao RTI, a autoridade monetária revisou as projeções de PIB para 1,6% e de IPCA para 4,2%, ambos para o fim de 2018.

Bolsa: a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, de condicionar as privatizações ao poder legislativo deve impactar negativamente a praça acionária local. Além disso, o viés negativo lá fora também reforça a tendência de queda do Ibovespa no dia.
Juros: em que pese a alta de 1,87% do IGP-M de junho, o Relatório de Inflação do Bacen deve guiar os juros futuros nesta abertura. O documento veio em linha com a ata e cita o risco ligado a inércia da baixa inflação e preocupação com a atividade. Assim, sem perspectiva de pressão de demanda no IPCA, a curva à termo de juros deve operar em queda.
Dólar: a maior aversão ao risco no exterior será contrabalançado pela mensagem do Relatório de Inflação de que a economia doméstica segue fraca e com risco de manter a inflação menor. Desse modo, espera-se que o dólar opere de forma volátil, mas com viés de alta frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.