Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/05/2019

Brasília, 28 de maio de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os mercados internacionais seguem cautelosos, na reabertura das bolsas londrina e de Nova Iorque, após o feriado de ontem. Pesa negativamente, na abertura, as perspectivas de impasse das negociações comerciais entre EUA e China e o avanço de partidos descrentes da União Europeia nas eleições para o Parlamento do Bloco. Por ora, bolsas europeias operam em baixa, ao passo que os futuros de Bolsas dos EUA trabalham levemente no azul. As commodities abre os negócios positivamente, em especial as metálicas. Dólar oscila ante as divisas externas.

Interno: A tentativa de aproximação do presidente Jair Bolsonaro com os chefes dos demais poderes deve repercutir bem, assim como a notícia de que Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, reúne um grupo para discutir a pauta econômica. Preocupa a votação da Medida Provisória 870 (reestrutura os ministérios) e a retomada dos trabalhos em relação a reforma da Previdência.

Bolsa: A conjuntura externa ligeiramente negativa deve ser ofuscada pelo cenário político doméstico melhor. Assim, o Ibovespa tende a subir no pregão regular.
Juros: A oscilação do dólar frente as moedas internacionais (pode pressionar no curto prazo a inflação) se contrapõe à reaproximação de Bolsonaro com os chefes do Legislativo e Judiciário. Desse modo, os juros futuros devem cair (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ambiente internacional pouco mais avesso ao risco tende a limitar o potencial de valorização do real frente ao dólar. A tentativa de reaproximação do governo com os poderes Legislativo e Judiciário deve favorecer o real ante ao dólar no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.