Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/05/2018

Brasília, 28 de maio de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: em dia de feriado do Memorial Day nos EUA e no Reino Unido que deve retirar liquidez dos mercados internacionais, investidores direcionam as atenções para os sinais de alívio das tensões geopolíticas após declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, de reconsiderar a reunião de cúpula com o líder norte-coreano, Kim Jong-un. Por outro lado, na Europa, a crise política na Itália ajuda a derrubar as bolsas e enfraquecer a moeda única no velho mundo. Quanto ao câmbio, o dólar se valoriza ante a maioria das divisas externas.

Interno: o clima apreensivo com a greve dos caminhoneiros segue no foco, mesmo após o governo ceder em diversas reinvidicações. O custo fiscal estimado em R$ 13,5 bilhões traz preocupação por conta da grave situação das contas públicas. Não menos importante refere-se aos desdobramentos políticos, haja vista que a mobilização e apoio dado por parte da sociedade sugerem um terreno fértil para discursos populistas na campanha eleitoral. No calendário de eventos, a decisão do Tesouro Nacional de realizar leilões de títulos pré-fixados de médio e longo prazo nesta semana e divulgação dos dados de crédito são destaques.

Bolsa: a greve dos caminhoneiros que entra na segunda semana, queda das bolsas europeias e das commodities tendem a impor nova rodada de perdas para o Ibovespa no dia.
Juros: o anúncio do Tesouro Nacional de que fará leilões extraordinários de compra e de compra e venda de NTN-Fs deve aliviar a pressão sobre a estrutura à termo de juros. No enanto, com a greve dos caminhoneiros entrando em sua segunda semana tende a influenciar a inclinação positiva da curva de juros por causa do desabastecimento de produtos e combustível.
Dólar: a apreensão com a continuidade da greve dos caminhoneiros pelo oitavo dia consecutivo e o impacto fiscal estimado das medidas anunciadas pelo governo e valorização do dólar frente as demais divisas reforçam o viés de queda da moeda doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.