Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/03/2017

Brasília, 28 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais iniciam a terça-feira ligeiramente positivo com as bolsas e commodities subindo depois da melhora observada na tarde desta segunda-feira. A agenda de indicadores esvaziada direciona as atenções dos investidores para as declarações de dirigentes do Fed. Quanto a ao governo Trump, a avaliação é de que terá menos dificuldades para avançar com sua agenda tributária.

Interno: com exterior ameno e sinalização do governo de que irá exigir dos Estados e Municípios a realização, no prazo de seis meses, de mudanças nas regras previdenciárias dão viés positivo para o mercado doméstico. No entanto, o adiamento do anúncio de cortes no Orçamento Federal deve deixar os investidores locais operando com uma certa dose de precaução.

Bolsa: conjuntura externa positiva e escolha de nome técnico de Fábio Schvartsman (atual presidente da Klabin) para comandar a mineradora Vale tendem a impulsionar a Bovespa no dia.
Juros: queda dos Treasuries nos EUA e indicação de que a reforma da previdência irá avançar com a participação dos Estados e Municípios devem impor retirada de prêmios ao longo das estrutura à termo de juros. Vale lembrar que o movimento na parte curta da curva de juros pode apresentar queda limitada diante das apostas de que a taxa Selic possa cair 1 ponto percentual na reunião de abril.
Dólar: em que pese a elevação do dólar ante as demais divisas internacionais neste começo de dia, a alta das bolsas e commodities além de indicação de que a reforma da previdência avance com Estados e Municípios são fatores que tendem a favorecer o real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.