Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/01/2019

Brasília, 28 de janeiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os novos sinais de fraqueza da economia chinesa após a queda do lucro industrial das empresas, em base anual, pelo segundo mês consecutivo e as dúvidas com a nova rodada de negociações comerciais sino-americanas trazem o viés negativo para a abertura dos mercados nesta semana. Ademais, a perspectiva de uma nova paralisia do governo (shutdown) norte-americano causada pela falta de acordo para financiar a construção de um muro para dividir o país com o México também pesa. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque, commodities caem, enquanto o dólar ganha valor frente a maioria das moedas externas.

Interno: a tragédia com o rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho (MG) e seus efeitos sobre os papéis da mineradora Vale devem afetar os negócios locais. Os recibos de ações da Vale (ADRs) negociados em Nova Iorque iniciou os negócios no pré-mercado na Bolsa de Valores americana em queda de quase 20%. As consequências financeiras até o momento são o bloqueio, pela Justiça, de R$ 11 bilhões de bens da mineradora para compensar os estragos mais sanções administrativas do Ibama que somam R$ 250 milhões, além de multa da prefeitura da cidade de R$ 100 milhões. Hoje, a Justiça de Minas Gerais deferiu liminar determinando um bloqueio de R$ 5 bilhões da companhia, enquanto a Justiça do Trabalho pediu mais R$ 1,6 bilhão em congelamento de bens da Vale.

Bolsa: a maior aversão ao risco no exterior diante da queda das bolsas e commodities associado a tragédia de Brumadinho (MG) tendem a afetar negativamente o Ibovespa no dia. Os papéis da Vale devem operar com forte baixa.
Juros: a alta do dólar ante as moedas externas se contrapõe a fraqueza da economia chinesa e suas consequências sobre a atividade global. Adicionalmente, o ritmo ainda lento da economia brasileira deve manter os juros futuros de prazo mais curto na estabilidade, ao passo que o vencimentos mais longos tendem a cair marginalmente (sem alteração, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos no curto prazo).
Dólar: a piora da conjuntura internacional por conta dos sinais de desaceleração da economia chinesa e trajédia de Brumadinho (MG) devem impor alta da divisa estadunidense frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.