Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 27/09/2017

Brasília, 27 de setembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados aguardam a proposta de reforma tributária do governo Trump cujos detalhes serão conhecidos à tarde. Ademais, a sinalização do Fed que um novo aumento dos juros deve ocorrer em dezembro corrobora o movimento global de apreciação do dólar ante as divisas externas. Nas praças acionárias, bolsas sobem diante das expectativas com o estímulo fiscal norte-americano.

Interno: o placar apertado na votação que manteve o foro privilegiado de Moreira Franco, ontem à noite (203 X 198), revela inesperada fragilidade da base governista e traz preocupações aos investidores por conta da maior pressão por gastos públicos para obter apoio para barrar a segunda denúncia criminal no Congresso. Quanto aos eventos de mercado, destaque para os leilões das usinas da Cemig e nova rodada de licitações da Agência Nacional de Petróleo, que são importantes para o cenário fiscal e ajudam a ver a disposição dos investidores nas concessões de ativos domésticos.

Bolsa: conjuntura externa favorável para as bolsas deve ter menor peso sobre o Ibovespa no dia por conta da deterioração política no âmbito da base governista. Assim, o índice acionário paulista tendem a apresentar queda com investidores aproveitando para realizar lucros.
Juros: a pressão política por liberação de mais emendas parlamentares em troca de apoio ao governo contra a segunda denúncia criminal relacionado ao presidente Temer deve pressionar de forma altista a curva à termo de juros diante da situação do cenário fiscal.
Dólar: a alta do dólar em escala global por conta da indicação da presidente do Fed, Janet Yellen, de que os juros norte-americanos deve subir em dezembro, bem como pelas expectativas de estímulo fiscal pelo governo Trump tendem a depreciar o real ante a moeda Yankee.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.