Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 27/06/2018

Brasília, 27 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: o embate comercial dos EUA com China e União Europeia ainda preocupa os investidores e faz futuros de bolsa de Nova Iorque cair, enquanto bolsas europeias ensaiam recuperação, mas sem fôlego. Petróleo e commodities agrícolas ganham valor juntamente com o dólar frente a maioria das moedas externas.

Interno: leilões de linha de dólar que o Banco Central realiza hoje e a decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) de reduzir a meta de inflação para 3,75% em 2021 serão avaliados pelos agentes domésticos. Por outro lado, a conjuntura externa deve influenciar os negócios diante da maior aversão ao risco.

Bolsa: lá fora prevalece as tensões comerciais entre EUA, China e União Europeia cujos potenciais efeitos sobre o crescimento econômico mundial deve pesar sobre os papéis acionários brasileiros. Em dia de jogo da Seleção Brasileira de futebol, os negócios tendem a ser reduzidos e com menor liquidez. Nesse sentido, espera-se que o Ibovespa opere em baixa.
Juros: a redução da meta de inflação para 2021 pelo Conselho Monetário Nacional - CMN - e leilões de títulos públicos pré-fixados devem orientar o movimento dos juros futuros. Não obstante, o cenário internacional mais adverso pode provocar maior oscilação da curva de juros no dia.
Dólar: o segundo leilão de linha de dólar a ser oferecido pelo Banco Central de até US$ 2,5 bilhões diante do cenário internacional mais adverso não deve ser suficiente para tirar a pressão da taxa de câmbio doméstica. Assim, o dólar deve apreciar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.