Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 27/04/2018

Brasília, 27 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais amanhecem em tom ligeiramente positivo e aguardando a divulgação dos PIB do 1T18 dos EUA cujas expectativas são de crescimento em base anual de 1,8% frente a expansão de 2,9% no 4T17. Na Europa, o crescimento econômico do Reino Unido de 1,2% no 1T18, na comparação anual, abaixo das expectativas de 1,4%, impacta as moedas de referência (libra-esterlina, euro, franco-suiço e iene) e faz o dólar ganhar valor. Por ora, bolsas europeias sustentam ganhos, enquanto futuros de bolsas de Nova Iorque operam sem direção definida. Petróleo e commodities metálicas trabalham em baixa com investidores aproveitando para realizar lucros.

Interno: a persistência de um quadro de incerteza política ainda estimula o tom cauteloso por parte dos investidores domésticos na assunção de tomada de risco em ativos locais. Impasse em torno da privatização da Eletrobrás e fala do presidente do Banco Central, Ilan Goldfjan, de que evitará “qualquer dinâmica pervesa” no câmbio movimenta os negócios brasileiros.

Bolsa: perspectivas de avanço moderado dos indicadores de atividade norte-americanos e preocaução dos agentes domésticos com as indefinições políticas locais devem deixar a bolsa nacional com movimento volátil nesta abertura.
Juros: o alívio momentâneo no front internacional e a agenda de indicadores esvaziada internamente devem ajudar no movimento lateral da curva à termo de juros no pregão regular.
Dólar: a proximidade da formação da Ptax (taxa de câmbio utilizada para fechamento de contratos de derivativos de dólar futuro) e expectativas com indicadores de atividade dos EUA tendem a deixar o dólar oscilando ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.