Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 27/04/2017

Brasília, 27 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores reagem com viés negativo neste começo de manhã, após a decepção com o anúncio pouco detalhado da reforma tributária pelo governo Trump. Na Ásia, os mercados trabalharam de forma limitada diante dos temores de uma possível intervenção de Pequim para conter negócios especulativos. Bolsas na europa corrigem os ganhos de ontem, enquanto Wall Street os índices futuros operam na estabilidade.

Interno: o destaque fica para a reação à aprovação da reforma trabalhista, com 296 votos a favor. Em que pese o número não ser suficiente para aprovação da PEC da Previdência, a distância pequena para os 308 votos necessários pode ser entendida como possível de ser ultrapassada. Esta percepção gera um viés positivo para o dia.

Bolsa: com o exterior trabalhando em bandas estreitas de preços, o Ibovespa tende a reagir positivamente à aprovação da reforma trabalhista, pois sugere que o governo tem condições de conseguir aprovar também a reforma da Previdência.
Juros: a deflação do IGP-M de 1,1% e à aprovação da reforma trabalhista com 296 votos à favor devem contribuir para que os DIs de médio e longo prazo cedam. Já os vencimentos de curto prazo tendem a operar na estabilidade por conta de já estarem precificados as perspectivas de taxa Selic ,observadas no boletim Focus, para 2017.
Dólar:  o anúncio do presidente americano Donald Trump de que os EUA não sairão do Nafta e o placar da votação da reforma trabalhista (perto do necessário para a aprovação da PEC da reforma da Previdência) dão viés de alta para o real ante ao dólar. No enanto, a proximidade da Ptax (taxa de câmbio utilizada para dólar futuro) pode limitar o movimento esperado para hoje.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.