Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 26/08/2019

Brasília, 26 de agosto de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A escalada da guerra comercial entre EUA e China segue afetando os mercados negativamente depois do fechamento da sexta-feira quando, Donald Trump, reagiu às barreiras impostas pelos chineses com anúncio de elevação das tarifas. Turmp disse que irá adotar mais tarifas sobre US$ 550 bilhões de bens importados da China. Nesta manhã o presidente norte-americano buscou amenizar o tom, citando a perspectiva de retomada das negociações e voltando a elogiar Xi Jinping. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e as commodities sobem, ao passo que o dólar ganha valor ante a divisas internacionais.

Interno: A crise ligada às queimadas na Amazônia apresentaram melhora na imagem do Brasil depois que o governo indicou medidas para tentar conter a tragédia ecológica. Outro ponto de preocupação estava relacionado ao acordo comercial entre União Europeia e Mercosul, pois a questão ambiental pesava sobre as chances de algum efeito negativo. No entanto, o tom de ajuda expresso pela maioria dos países do G-7 também contribuiram para que o acordo comercial seja preservado.

Bolsa: As fortes perdas dos papéis ao redor do globo observado na sexta-feira (sugere correção de preços) e declaração de Trump aliviando o tom da guerra comercial com os chineses trazem viés positivo nas praças acionárias na Europa e nos EUA. Assim, espera-se que o índice paulista opere em alta no dia.
Juros:  A alta do dólar frente as moedas externas (gera pressão na inflação no curto prazo) deve preponderar e tende a pesar sobre a curva de juros. Nesse sentido, os juros futuros tendem a subir na sesssão regular (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ganho de valor do dólar ante as divisas externas deve pressionar a taxa de câmbio doméstica. Com isso espera-se que o dólar opere em alta frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.