Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 26/06/2017

Brasília, 26 de junho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os mercados internacionais abriram a semana otimistas com os índices de Confiança na Alemanha melhores do que o esperado e com o resgate de bancos na Itália. Na agenda de indicadores, são destaques, hoje, os pedidos de bens duráveis nos EUA, enquanto na Europa, a fala do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, deve ajudar na previsão sobre a política monetária na região do euro.

Interno: segue a cautela com o ambiente político diante das dúvidas quanto ao trâmite da denúncia da PGR contra Temer, que deve ser oferecida hoje ao STF. Vale lembrar que o Supremo só pode processar o presidente com aprovação de 2/3 da câmara. Na agenda desta segunda, o boletim Focus revelou queda nas projeções de inflação e atividade para 2017 e 2018, enquanto a FGV divulgou que a Confiança do Consumidor de junho mostrou retração.

Bolsa: a conjuntura externa bem favorável no exterior com alta das bolsas europeias e das commodities agrícolas e do petróleo devem ajudar o Ibovespa a buscar uma recuperação de preços, após mostrar queda de 0,87% na semana passada. Ademais, o imbróglio político interno deve manter a liquidez reduzida e servir de limitador de um impulso relevante do índice acionário paulista.
Juros: a queda dos juros futuros dos EUA e indicadores nacionais mostrarem a debilidade da economia doméstica, os DIs de médio e longo prazos tendem a cair. Já os vencimentos mais curtos, até o fim deste ano, deve operar na estabilidade diante das expectativas de que a taxa Selic seja reduzida em 0,75pp.
Dólar: o bom humor externo e ajustes na cotação da paridade doméstica devem servir de pretexto para que os investidores locais impulsione o dólar para baixo ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.