Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 25/04/2018

Brasília, 25 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os juros de 10 anos dos EUA tocam os 3% e mantém a pressão sobre os ativos de risco. Além disso, tensões entre EUA e Irã em torno do pacto nuclear e balanços corporativos também seguem no radar. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova York operam em baixa, enquanto o dólar volta a ganhar valor ante as moedas externas.

Interno: a divulgação ontem à noite da pesquisa eleitoral do Ibope de intenção de voto para presidente, realizada no estado de São Paulo, influencia a abertura dos negócios. A pesquisa revelou que no cenário com ex-presidente Lula o petista continua liderando a corrida presidencial. Ademais, a decisão da segunda Turma do STF de retirar do juiz Sérgio Moro menções da delação da Odebrecht que tratam do sítio de Atibaia e do Instituto Lula e lida pelo mercado como fator que pode ajudar na possível soltura do ex-presidente da prisão. Na agenda de indicadores, dados do setor externo e resultado das contas públicas são destaques.

Bolsa: o quadro internacional de aversão ao risco com perdas nas principais bolsas ao redor do globo e incertezas políticas devem impor viés de queda para o Ibovespa mesmo diante de bons resultados corporativos previstos para o dia.
Juros: a piora do humor dos investidores no exterior, alta do dólar e incertezas eleitorais interna tendem a pressionar de forma altista os prêmios da curva de juros.
Dólar: os players voltam a pesar a expectativa de aceleração dos índices de inflação nos EUA por conta da alta recente das commodities. Ta possibilidade faria com que o Fed acelere o ritmo de aperto monetário nos EUA. Corroborando tudo isso, a alta da moeda norte-americana frete as demais divisas internacionais deve impor perda da taxa de câmbio doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.