Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 24/10/2019

Brasília, 24 de outubro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Ignorando dados macroeconômicos ruins da zona do euro, investidores acompanham à temporada de balanços corporativos do velho continente que mostram resultados mistos aliviando parte das tensões com a perda de ritmo econômico. Também ajuda no viés positivo dos mercados a falta de novidades sobre o Brexit e da disputa comercial entre EUA e China. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque operam em alta, ao passo que as commodities e o dólar oscilam.

Interno: Após a aprovação da reforma da Previdência ontem, os agentes aguardam as novas indicações sobre os próximos passos da agenda econômica. Na agenda de eventos, os ministros do STF continuam o julgamento sobre prisão após condenação em segunda instância. Quanto aos indicadores, o índice de confiança do consumidor de outubro recuou denotando que as intenções de compra só se mantiveram mais altas para os consumidores de maior poder aquisitivo.

Bolsa: A melhora das bolsas externas e expectativa de ganho consistente da atividade a serem influenciados por novos avanços da agenda econômica tendem a alavancar positivamente o Ibovespa na sessão regular.
Juros: A volatilidade do dólar frente a maioria das moedas internacionais (gera pressão na inflação no curto prazo) deve ser ofuscado pela perspectiva de melhora no quadro fiscal do país no médio e longo prazo depois da aprovação da reforma da Previdência. Assim, os juros futuros devem cair (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A perspectiva de entrada de um volume alto de dólares para o leilão da cessão onerosa do petróleo, marcado para 6 de novembro tende a manter o real apreciado frente a divisa norte-americana

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.