Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 24/04/2019

Brasília, 24 de abril de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A queda inesperada do indicador de confiança das empresas da Alemanha aciona o alerta de cautela entre os investidores internacionais. Bons resultados corporativos da empresa alemã, SAP, e do banco suíço, Credit Suisse, amortece o viés negativo nas praças financeiras europeias. Os níveis recordes atingidos, ontem, pelos índices acionários novaiorquinos faz os futuros de bolsas dos EUA trabalharem perto da estabilidade. No câmbio, o dólar ganha valor frente a maioria das divisas externas e commodities oscilam.

Interno: Apesar da vitória do governo na aprovação da admissibilidade da reforma da Previdência na CCJ, com 48 votos favoráveis, permanecem os sinais de dificuldades para a tramitação na Comissão Especial, onde haverá muita pressão para derrubar pontos importantes da proposta tais como: a extensão das novas regras da previdência para os Estados. Essa medida é fundamental para alivar as contas públicas estaduais. Na agenda, a estimativa de criação 82 mil de vagas formais pelo Caged, a previsão de alta da arrecadação federal, pesquisa de opinião sobre o governo pelo Ibope e leilão de swap cambial pelo Banco Central são os destaques que serão utilizados pelos investidores domésticos para justificar posições financeiras.

Bolsa: O clima ligeiramente negativo nesta manhã, no exterior, associado a manutenção das incertezas domésticas quanto a tramitação da reforma da Previdência tendem a impor viés de baixa do Ibovespa.
Juros: A alta do dólar frente as moedas emergentes (gera pressão de curto prazo na inflação) e a permanência das dúvidas quanto à reforma da Previdência atuam como vetores negativos. Contudo, a fraqueza da economia nacional deve prevalecer e impor viés de queda para os juros futuros (baixa, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ambiente externo ligeiramente negativo e dificuldades para avançar a reforma da Previdência devem valorizar o dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.