Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 24/04/2018

Brasília, 24 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: o receio de que o Federal Reserve (Banco Central dos EUA) acelere o ritmo de aperto monetário ainda segue no radar dos investidores. Por ora os balanços corporativos de América Móvil, Caterpillar e Coca-Cola ajuda a movimentar os negócios. Na Europa, as principais bolsas operam com sinais mistos, reagindo pontualmente a balanços como o do Santander. Em Wall Street, os índices futuros das bolsas apontam para uma recuperação das perdas de ontem. Petróleo trabalha em alta favorecido pela percepção de que a demanda continuará sólida e a oferta diminuirá.

Interno: a agenda de indicadores traz como destaque os dados de arrecadação federal de março cujas previsões são de R$ 109,9 bilhões superior ao montante arrecadado em fevereiro de R$ 105,1 bilhões. Os agentes domésticos estão também de olho na divulgação da pesquisa Ibope de intenção voto para presidente que será conhecido logo mais as 19h20.

Bolsa: o quadro internacional com maior propensão ao risco num movimento de reação as perdas de ontem deve constratar com as incertezas eleitorais brasileiras. Nesse sentido, a Bovespa tende a abrir de forma volátil nesta manhã.
Juros: a melhora do humor dos investidores no exterior e dados de atividade doméstica ainda fracos devem contribuir para o recuo dos prêmios da curva de juros dos vencimentos de médio e longo prazo. Já os vértices mais curtos deve operar na estabilidade.
Dólar: os players seguem preocupados com a perspectiva de que o Fed acelere o ritmo de aperto monetário nos EUA, porém os ganhos da divisa norte-americana nestes últimos dias ajuda na realização de lucros por parte dos agentes. Assim, o dólar deve ceder marginalmente ante ao real no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.