Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 24/03/2017

Brasília, 24 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os mercados internacionais começam o dia sob movimentos laterais após a votação da reforma da saúde no Congresso dos EUA ter sido adiada de ontem para esta sexta-feira. Investidores tendem acentuar a cautela em caso de fracasso de Trump em conseguir revogar o Obamacare.

Interno: o desconforto dos investidores domésticos com as dificuldades do governo para alcançar um consenso no contigenciamento do Orçamento Federal e conseguir aprovar uma reforma dura da previdência mantêm a apreensão dos players.

Bolsa: o clima global mais cauteloso associado ao quadro fiscal doméstico apreensivo devem deixar a Bovespa com viés negativo no dia. Ademais, investidores aproveitam o momento para continuar corrigindo preços depois dos últimos meses ter mostrado valorização dos papéis locais.
Juros: ambiente externo conturbado, as incertezas sobre o andamento da reforma da Previdência e com a situação fiscal devem pressionar novamente a curva de juros. Além disso, o mercado também está refletindo a falta de clareza do governo sobre como irá cobrir o rombo de R$ 58,2 bilhões no Orçamento este ano. Nesse contexto, os DIs tendem operar de forma estável na parte curta da curva e agregar prêmios nos vencimentos longos.
Dólar: maior aversão ao risco dos investidores internacionais e incertezas políticas no Brasil (avanço do processo sobre a chapa Dilma-Temer com vazamento da delação de executivos da Odebrecht, recuo do governo na reforma da previdência etc) tendem apreciar novamente o dólar ante ao real nesta sexta-feira.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.