Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 24/01/2019

Brasília, 24 de janeiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: de olho nos focos de incertezas presentes, mercados operam de forma mista com algumas praças subindo e outras caindo. O dia terá como destaque a fala do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, além de mais uma tentativa do Senado norte-americano de encerrar a paralisação parcial do governo. Por ora, commodities caem, enquanto o dólar ganha valor frente a maioria das moedas externas.

Interno: expectativas de avanços da agenda econômica permanecem, em que pese as especulações sobre a inclusão ou não dos militares na reforma da Previdência. A equipe econômica defende que projeto de lei que engloba militares seja encaminhado logo no início do ano legislativo, juntamente com o novo texto da reforma da Previdência. O argumento é que isso vai reforçar a sinalização de que todos precisarão dar sua contribuição para o equilíbrio da Previdência e das finanças do País.

Bolsa: sem muitas novidades no âmbito local e internacional, os investidores domésticos devem operar de forma cautelosa depois do Ibovespa atingir nova máxima histórica de 95.558 pontos vista ontem. Isso estimula a correção de preços (com operadores aproveitando a alta para vender). Assim, a bolsa tende a oscilar no dia.
Juros: a volatilidade do dólar ante as moedas externas e ajustes na curva de juros, depois da queda de ontem, devem servir de motivo para os operadores pressionarem os prêmios embutidos nos DIs. Desse modo, espera-se ligeira alta dos juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a conjuntura internacional ainda instável e incerta deixa o dólar operando volátil e tende a influenciar a taxa de câmbio doméstica. Além disso, a queda da moeda americana ontem frente ao real adiciona mais um motivo para que a divisa doméstica perca valor no dia. Assim, o dólar deve operar em leve alta ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.