Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 23/10/2019

Brasília, 23 de outubro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os mercados apresentam variações modestas em dia de agenda fraca. O primeiro-ministro britânico, Boris Jonhson, conseguiu aprovar as linhas gerais de seu acordo para saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), mas o Parlamento rejeita a adoção de um cronograma rápido. A visão de um Brexit sem acordo diminui e traz alívio aos investidores. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque operam de forma mista, ao passo que as commodities caem. O dólar oscila ante a maioria das divisas internacionais.

Interno: O risco de diluição da reforma da Previdência no Senado que pode diminuir o impacto fiscal será o centro das atenções dos agentes domésticos. As expectativas são de que o Senado rejeite dois destaques que poderiam afetar a economia fiscal esperada. Na agenda de eventos, os ministros do STF retomam o julgamento sobre prisão após condenação em segunda instância nesta manhã.

Bolsa: A instabilidade nas praças acionárias lá fora e votação de destaques da reforma da Previdência devem limitar os ânimos dos investidores. Assim, o Ibovespa tende a subir ligeiramente no dia.
Juros: A volatilidade do dólar frente a maioria das moedas internacionais (gera pressão na inflação no curto prazo) deve ser ofuscado pela aprovação do texto-base da Previdência. Ademais, a alta dos juros ontem tende a ser corrigido hoje na forma de baixa da curva de juros futuro (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos). Lembrando que a votação de dois destaques da reforma pode limitar o movimento previsto para os juros.
Dólar: A moeda norte-americana deve subir ligeiramente frente ao real por conta da volatilidade do dólar frente as divisas internacionais, bem como pelo risco de diluição da reforma da Previdência.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores