Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 23/08/2018

Brasília, 23 de agosto de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: novas sobretaxas americanas sobre produtos de US$ 16 bilhões, que entram em vigor hoje, fazem os chineses cumprirem a promessa de retaliar, enquanto técnicos dos dois países tentam encontrar uma saída para que EUA e China encontrem um consenso visando diminuir as tensões comerciais. Na Europa, operadores se fiam em indicadores macroeconômicos, após o índice de atividade (PMI) composto ter registrado alta. No entanto, as bolsas operam com sinais mistos, enquanto o dólar ganha valor frente as divisas internacionais e commodities caem.

Interno: sem pesquisas eleitorais novas, investidores deslocam as atenções para a agenda econômica local e para o cenário no exterior. Investidores começam o dia de olho no IPCA-15 de agosto, com estimativas de pequena alta de 0,10%, puxada pelo grupo alimentação. Outro indicador a ser monitorado é o de arrecadação federal com expectativas de subir para R$ 121 bilhões.

Bolsa: a Bovespa pode encontrar no exterior fraco um motivo para corrigir parte da forte alta de 2,3%, registrada ontem. A guerra comercial entre EUA e China e seus efeitos sobre os preços de ações vinculadas a commodities (Petrobrás. Vale, Gerdau etc) tendem a impor viés de baixa para a bolsa paulista.
Juros: a perspectiva de desaceleração do IPCA-15 de agosto e melhora nas projeções de arrecadação tendem a auxiliar a retirada de prêmios da curva de juros (DIs) no dia. Contudo, o fortalecimento do dólar lá fora pode impactar no sentido oposto. Sendo assim, os juros futuros devem operam na estabilidade no pregão regular.
Dólar: a sequência de seis pregões de valorização do dólar frente ao real, que fechou ontem a R$ 4,06, e possibilidade de atuações do Banco Central no mercado de câmbio tendem a contribuir para que a moeda brasileira trabalhe na estabilidade.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.