Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 23/05/2019

Brasília, 23 de maio de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os mercados financeiros internacionais amanhecem de mau humor por conta das preocupações dos investidores com as notícias de que os americanos podem se voltar contra mais empresas da China em questões de restrição de operação. Ademais, as especulações de que a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, renunciará em breve acentua o viés negativo. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities operam em baixa e o dólar ganha valor ante as divisas externas.

Interno: O ambiente externo deve pesar sobre os negócios locais, enquanto os investidores domésticos monitoram o cenário político após o Senado aprovar ontem a medida provisória que abre o setor aéreo para 100% do capital estrangeiro e a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara chancelar a admissibilidade da reforma tributária. A votação da MP 870 (trata da reforma administrativa do governo Bolsonaro que tem como exemplo a redução de ministérios) e dados da arrecadação federal com previsão de crescimento serão os destaques da agenda doméstica.

Bolsa: A baixa nas praças acionárias da Europa e dos futuros das bolsas dos EUA tendem a pesar sobre os negócios locais apesar da melhora no ambiente político interno. Assim, o Ibovespa tende a cair no dia.
Juros: A alta do dólar frente as moedas internacionais (gera pressão no curto prazo na inflação) e a queda dos últimos dias das taxas de juros futuros (estimula a correção de preços) devem impor viés de alta da curva (alta, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ambiente externo ruim por causa das notícias de que os norte-americanos devem impor mais restrições a outras empresas chinesas e do imbróglio político no Reino Unido tendem a pressionar a taxa de câmbio doméstica. Assim, o dólar deve subir frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.