Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 23/05/2018

Brasília, 23 de maio de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, de não estar satisfeito com o resultado da última rodada de negociações comerciais, com os chineses ocorrida na semana passada, em Washington, deixa os mercados internacionais operando com mau humor. Ademais, o anúncio da China de redução da tarifa de importação de carros, de 25% para 15%, não obteve a mesma contrapartida americana. Assim, os EUA mantêm a sobretaxa nas compras de aço e alumínio dos chineses. No momento, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova Iorque operam em baixa, ao passo que, o dólar ganha valor ante as moedas extenas.

Interno: o anúncio de acordo entre o ministério da Fazenda e o Congresso para tentar solucionar o impacto da greve dos caminhoneiros no abastecimento nacional ajuda a aliviar as preocupações dos investidores. O governo decidou zerar a CIDE sobre o diesel, mas exigiu que o parlamento aprove a reoneração da folha de pagamento para diversos setores da economia como forma de preservar o equilíbrio fiscal. Na agenda de indicadores, a perspectiva de ligeira aceleração no IPCA-15 de maio para 0,27%, ante a 0,21% em abril, ajuda a guiar os negócios locais.

Bolsa: o temor de guerra comercial entre EUA e China volta e gera preocupações lá fora e tende a impactar negativamente a Bovespa no pregão regular.
Juros: a cautela volta a predominar nos mercados internacionais e pressiona a taxa de câmbio para cima e tende a refletir na curva à termo de juros. Além disso, as expectativas de aceleração do IPCA-15 de maio reforça o viés de alta dos DIs.
Dólar: após dois dias de trégua nos mercados externos, investidores retomam as preocupações de uma guerra comercial entre China e EUA e por isso nem mesmo a maior oferta de swap cambial pelo Banco Central deve evitar a depreciação do real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.