Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 23/05/2017

Brasília, 23 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais amanhacem ligeiramente negativo digerindo as notícias de uma explosão ocorrida na cidade de Manchester na Inglaterra, durante um show de uma cantora americana, deixando ao menos 22 mortos e cerca de 60 feridos. No entanto, no velho continente, foi divulgada uma leva de dados positivos de atividade que contrapõem e da certo ânimo ao mercado acionário. Por ora, commodities e moedas emergentes cedem.

Interno: Ainda sem perspectiva de solução para a crise política, os investidores devem reagir a decisão da agência de classificação de risco Standard & Poor´s de colocar o rating do Brasil em revisão para possível rebaixamento. Na agenda econômica, o IPCA-15 de maio tende a manter a expectativa de novo corte da Selic na semana que vem.

Bolsa: as incertezas políticas seguem no radar dos investidores com um agravante da decisão da agência S&P de colocar o rating do Brasil em observação para possível rebaixamento, o que pode acontecer em um prazo de três meses. Assim, o viés permanece negativo para a Bovespa.
Juros: dúvidas sobre os desdobramentos da crise envolvendo o presidente Michel Temer e fortalecimento do dólar ante ao real nesta abertura tende a pressionar a curva à termo de juros. Por outro lado, a perspectiva de que o IPCA-15 de maio venha dentro das estimativas e perspectivas de leilões de títulos e de swap cambial devem dar uma alívio na estrutura à termo de juros.
Dólar: ambiente externo cauteloso, decisão da agência S&P de colocar o rating brasileiro para possível rebaixamento e quadro político ainda conturbado são argumentos que pesam sobre a paridade real/dólar. Vale ressaltar que os leilões de swap cambial pelo Banco Central podem tirar uma pouco da pressão do câmbio doméstico. Nesse sentido, a moeda estadunidense tende a valorizar ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.