Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 23/01/2018

Brasília, 23 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: segue a baixa aversão ao risco, após o acordo que encerrou o shutdown parcial do governo norte-americano, ao menos temporariamente. Na Europa, o índice Zew de expectativas veio acima do esperado ajuda a manter o bom humor dos investidores internacionais. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova York operam em alta, enquanto as commodities metálicas e agrícolas caem. No câmbio, o dólar busca acomodação frente as moedas internacionais.

Interno: o clima externo ainda positivo favorece o ambiente de negócios doméstico, embora haja expectativas com o julgamento do ex-presidente Lula amanhã. Na agenda, o IPCA-15 de janeiro com expectativa de alta de 0,42%, ante a 0,35% em dezembro, será o destaque.

Bolsa: conjuntura externa ainda no positivo e agenda doméstica fraca segue como vetores positivos para sustentar o viés de alta do Ibovespa. No entanto, fatores técnicos podem inibir o clima positivo e impor pequena correção de preços no índice acionário paulista.
Juros: os juros futuros devem apresentar volatilidade no dia por conta das expectativas com o julgamento do ex-presidente Lula, bem como pelas estimativas de ligeira aceleração do IPCA-15 de janeiro. Nesse sentido, espera-se que a estrutura à termo de juros opere na estabilidade.
Dólar: resolução temporária do imbróglio orçamentário norte-americano serve como pretexto para os investidores internacionais corrigir preços das cotações ao redor do globo. A proximidade do julgamento do ex-presidente Lula também deve movimentar a taxa de câmbio doméstica. Assim, a perspectiva é de que o dólar ganhe valor frente ao Real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.