Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 22/11/2017

Brasília, 22 de novembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: véspera do feriado de Ação de Graças nos EUA afeta a liquidez dos mercados internacionais e provocam movimentos contidos nesta manhã. Por ora, investidores avaliam a fala da presidente do Fed, Janet Yellen, na noite de ontem, na qual alertou sobre os riscos de elevar a taxa de juros rapidamente. Assim, dólar opera enfraquecido ante a maioria das divisas externas, enquanto bolsas europeias e petróleo trabalham no azul.

Interno: as atenções seguem direcionadas às discussões sobre a reforma da Previdência cujo jantar previsto para hoje a ser oferecido pelo presidente, Michel Temer, a parlamentares pode revelar o quão a proposta tem chance de ser aprovada ainda este ano e sem grandes alterações.

Bolsa: apesar da alta das bolsas internacionais e das commodities agrícolas e do petróleo, o Ibovespa deve corrigir os preços por conta das incertezas em torno da reforma da Previdência. Assim, espera-se ligeira queda da bolsa paulista no dia.
Juros: dúvidas sobre a capacidade do governo em aprovar a reforma da Previdência este ano tende a pesar sobre a curva de juros, embora o cenário externo esteja operando com viés positivo. Nesse sentido, a estrutura à termo de juros deve operar na estabilidade.
Dólar: o recuo do dólar ante as divisas externas devido as expectativas de que a inflação nos EUA continue fraca e compasso de espera dos investidores locais em relação à reforma da Previdência são fatores que movimentam o câmbio. Internamente players monitoram a possibilidade de que um proposta já enxuta pelo governo possa ser ainda mais desidratada. Desse modo, o real tende a depreciar marginalmente ante ao dólar no pregão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.