Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 22/04/2019

Brasília, 22 de abril de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: O feriado da Páscoa continua na Europa e mantêm boa parte dos mercados do velho continente fechado. Nos EUA, os futuros de bolsas de Nova Iorque caem em meio a notícia de que o governo norte-americano irá acabar com a isenção dada a oito países para compra de petróleo do Irã. Ademais, o aumento da pressão dos Democratas para levarem adiante um pedido de impeachment contra o presidente Donald Trump também deixa os investidores trabalhando na defensiva.

Interno: Os sinais de dificuldades do governo para avançar a tramitação da reforma da Previdência, a questão do reajuste do diesel que segue sem uma solução e temor de uma nova greve dos caminhoneiros são fatores que devem influenciar negativamente os negócios locais.

Bolsa: O clima ligeiramente negativo nesta manhã no exterior associado as incertezas domésticas quanto a tramitação da reforma da Previdência tendem a impor viés de baixa do Ibovespa.
Juros: A alta do dólar frente as moedas emergentes (gera pressão de curto prazo na inflação) e a manutenção das dúvidas quanto à reforma da Previdência atuam com vetores negativos. Contudo, a fraqueza da economia nacional deve prevalecer e impor viés de queda para os juros futuros (baixa, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O ambiente externo ligeiramente negativo, dificuldades para avançar a reforma da Previdência e manutenção do risco de greve dos caminhoneiros devem valorizar o dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.