Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 22/03/2018

Brasília, 22 de março de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mesmo depois que o Fed indicou que deve elevar somente três vezes o juros nos EUA neste ano, as preocupações de que os EUA anunciem, ainda hoje, medidas comerciais punitivas contra Pequim, incluindo tarifas que podem afetar pelo menos US$ 30 bilhões em bens chineses prejudicam o preço dos ativos financeiros. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsa de Wall Street operam em queda, enquanto commodities agrícolas e metálicas trabalham ligeiramente no positivo. Petróleo cai por conta dos ganhos robustos nas últimas sessões. No câmbio, o dólar ganha valor ante as moedas internacionais.

Interno: sem agenda de indicadores relevantes, investidores irão reagir a sinalização do Copom de que poderá extender o ciclo de queda da taxa Selic pelo menos até a próxima reunião em maio. No calendário de eventos, destaque para a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que julgará habeas corpus do ex-presidente Lula às 14h00. Especialistas acreditam que o cenário não é tão favorável ao ex-presidente.

Bolsa: a perspectiva de extensão do ciclo de queda da taxa Selic, conforme indicou ontem o Copom, deve ajudar a Bovespa a abri em alta nesta quinta-feira. Além disso, a sinalização do Fed de que será mais gradualista na condução dos juros nos EUA completam os eventos positivos. No entanto, a escalada protecionista dos EUA tende a pressionar negativamente a bolsa nacional.
Juros:  a surpresa com a sinalização do Copom ontem em que sinalizou perspectiva de mais corte na taxa Selic devem impor ajustes baixistas na estrutura à termo de juros pelos players.
Dólar: osfucando o viés gradualista da política monetária dos EUA, o temor de uma guerra comercial segue no foco e tende a prevalecer nos negócios. Nesse sentido, o dólar tende a subir ante ao Real no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.