Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 22/01/2018

Brasília, 22 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: no terceiro dia de paralisação parcial das atividades do Estado norte-americano, o governo não conseguiu um acordo no Congresso para elevar o teto da dívida federal e estender o financiamento. Por enquanto, os investidores avaliam baixo impacto econômico resultado deste evento, acreditando numa resolução no curto prazo. Por ora, o dólar ganha valor ante as moedas emergentes ao passo que as bolsas europeias operam ligeiramente no positivo. As commodities agrícolas também trabalham no azul.

Interno: a agenda pouco movimentada no dia direciona as atenções para a aproximação do julgamento do ex-presidente Lula. As expectativas são de que Lula seja condenado diante do rigor histórico que o TRF-4 costuma apresentar em seus julgamentos. Em quase quatro anos de Operação Lava Jato, o colegiado absolveu apenas cinco dos 77 condenados em primeira instância.

Bolsa: conjuntura externa ligeiramente no positivo e agenda doméstica fraca tende a provocar algum impulso adicional no Ibovespa antes do julgamento do ex-presidente Lula.
Juros: movimento limitado nos juros futuros, por conta das expectativas com o julgamento do ex-presidente Lula, tende a impactar levemente, de forma altista, a parte média e longa dos DIs. Ademais, a queda do dólar ante ao Real nesta abertura deve amenizar oscilação nos vértices mais curtos.
Dólar: imbróglio orçamentário norte-americano tende a impor queda do dólar ante as divisas de referência - euro, libra esterlina, franco suíço - e alta na comparação com as moedas emergentes. Já em relação ao Real, as expectativas com o julgamento do ex-presidente Lula deixam os investidores domésticos mais otimistas. Nesse sentido, o dólar tende a oscilar no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.