Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 21/11/2017

Brasília, 21 de novembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: principais bolsas europeias operam no positivo com impulso dos papéis da indústria e do setor de telecomunicações, em meio a desdobramentos de acordos e mudanças regulatórias. Enquanto isso, petróleo e commodities metálicas seguem o clima ameno e trabalham no azul alavancados pelos ganhos da bolsa de Shanghai, na China.

Interno: os recentes sinais econômicos mais favoráveis (IBC-Br e Caged mostraram números positivos) e a possibilidade de avanço da reforma da Previdência na Câmara neste ano ajuda a movimentar os negócios. O novo texto da reforma deverá ser apresentado amanhã, em almoço de Michel Temer com governadores.

Bolsa: a alta das bolsas internacionais e das commodities aliado a perspectiva de avanço da reforma da Previdência ajudam no viés positivo para o mercado acionário doméstico.
Juros: a chance de avanço da reforma da Previdência com a nomeação do deputado Alexandre Baldy para o ministério das Cidades passa a percepção de que o governo está buscando ampliar a base de apoio. Ademais, o clima ameno lá fora tira pressão do câmbio e ajuda no viés de queda marginal da curva à termo de juros.
Dólar: a reforma tributária nos EUA segue no foco, mas sem novidades recentes. O feriado de Ação de Graças na próxima quinta-feira dia 23 contribui para que o tema só avance na próxima semana permitindo assim que as moedas externas ganhem valor frente a divisa norte-americana no dia. No caso do real, a conjuntura internacional favorável e perspectiva de avanço da reforma da Previdência ratificam o viés de depreciação do dólar ante a moeda local.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.