Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 21/09/2017

Brasília, 21 de setembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores internacionais reagem de forma amena a decisão de política monetária dos EUA diante dos sinais emitidos, na tarde de ontem, que apontam maior probabilidade de elevação dos juros em dezembro. No momento, bolsas europeias operam com ganhos marginais e o dólar avança ante as divisas emergentes.

Interno: o Relatório de Inflação do Banco Central mostrando projeções de IPCA bem comportadas até 2020 e expectativa de que a inflação corrente medida pelo IPCA-15 de setembro continue registrando número abaixo da meta são fatores que os players utilizarão nos negócios.

Bolsa: os ganhos marginais das bolsas europeias aliado a agenda econômica positiva tendem a manter o viés de alta para o Ibovespa no pregão regular do dia. Por outro lado, o patamar elevado da bolsa nacional pode suscitar alguma limitação no ânimo dos investidores por conta dos ruídos políticos que seguem no radar.
Juros: O Relatório de Inflação revelando projeções de IPCA (4,3% em 2018, 4,2% em 2019 e 4,1% em 2020) em níveis próximos aos estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional e perspectiva de que o IPCA-15 de setembro mostra número abaixo da meta devem impor nova rodada de queda da curva à termo de juros.
Dólar: em que pese a perda das divisas emergentes ante ao dólar, dados da economia nacional mostrando recuperação gradual conjugado com expectativa de inflação bem comportada até 2020, conforme Relatório de Inflação do Banco Central, tendem a depreciar a moeda norte-americana ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.