Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 21/06/2019

Brasília, 21 de junho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Melhora dos ínidices de atividade da Zona do Euro, notadamente no setor de serviços, é contrabalançado pelo aumento das tensões entre EUA e Irã diante do episódio da derrubada de drone norte-americano por forças iranianas. Ademais, a mudança de postura dos principais bancos centrais dos EUA, Europa e Japão renovam o apetite ao risco dos investidores internacionais. No momento, bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque operam com sinais mistos, enquanto as commodities e Petróleo sobem. O dólar ganha valor marginalmente ante as moedas externas.

Interno: Depois do feriado de Corpus Christi, ontem, os agentes locais reabrem ainda sob a influência da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de manter a taxa Selic em 6,5% ao ano. O comunicado do Copom evidenciou que os juros somente cairão condicionados a avanços efetivos da reforma da Previdência. Esse discurso mais cauteloso do Copom deve provocar movimentação nos negócios locais.

Bolsa: A manutenção do cenário externo volátil deve ser ofuscada pela perspectiva de queda da taxa Selic, depois da decisão do Copom. O cenário de baixa da taxa básica de juros favorece o mercado de ações, pois deixa mais barato os custos financeiros das empresas e das famílias. Assim, o Ibovespa deve subir no dia.
Juros: A valorização do dólar ante as moedas externas (gera pressão na inflação no curto prazo) será contrabalançada pela expectativa de queda da taxa Selic no próximo semestre conforme comunicado do Copom apontou na última quarta-feira. Desse modo, os juros futuros devem cair (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: Embora a conjuntura internacional ainda apresente certa volatilidade, a perspectiva de redução da taxa Selic em 6,5% (favorece a economia real com menor custo financeiro para famílias e empresas domésticas) deve sobrepor e direcionar para valorização do real frente ao dólar no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.