Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 21/05/2018

Brasília, 21 de maio de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os desdobramentos comerciais entre EUA e China em que ambos concordaram em não impor tarifas a importações ajuda os mercados internacionais. Bolsa europeias e futuros de bolsa de Nova Iorque operam no azul, ao passo que o dólar segue ganhando valor ante as moedas de referência (euro, iene e libra esterlina) e boa parte das divisas emergentes. Petróleo também trabalha em alta diante da expectativa de oferta mais restrita da commoditie por contra da produção venezuelana menor.

Interno: a decisão do Banco Central de ampliar a oferta de swap cambial de US$ 250 milhões (5 mil contratos) para US$ 750 milhões (15 mil contratos) e avisar de que pode atuar de forma discricionária tende a tirar um pouco mais da pressão na taxa de câmbio doméstica.

Bolsa: o bom humor externo deve ajudar a Bovespa a iniciar a semana em alta, na esteira da trégua da tensão comercial entre China e EUA. Vale lembrar que o vencimento de opções sobre ações pode provocar alguma volatilidade na primeira parte dos negócios.
Juros: a atuação do Banco Central na oferta de hedge cambial para o mercado e o comunicado que seguiu, no qual o órgão regulador disse que, "a atuação no mercado cambial é separada de sua política monetária" e que os impactos do câmbio na inflação devem ser mitigados pela ociosidade e pelas expectativas ancoradas, tende a impor queda da estrutura à termo de juros.
Dólar: a decisão do Bacen de triplicar a oferta de swap cambial deve trazer alívio na paridade real/dólar. No entanto, a alta da divisa norte-americana frente a maioria das moedas internacionais segue no radar dos investidores domésticos. Mesmo assim, espera-se que o dólar ceda frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.