Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 21/03/2017

Brasília, 21 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais amanhecem ligeiramente positivos diante de uma agenda financeira esvaziada. Os investidores movimentam o câmbio com euro e libra ganhando valor frente ao dólar, após a vitória de um candidato independente no debate referente as eleições presidenciais na França.

Interno: o foco segue na agenda de reformas, no ambiente político e nos desdobramentos da operação policial “Carne Fraca”. No que tange a reforma da previdência há sinais de que pode ocorrer mudanças no texto enviado pelo governo. Quanto ao setor de carnes, o país tenta conter os efeitos nas exportações depois que China, Chile e União Europeia suspenderam as importações temporariamente.

Bolsa: alta moderada das bolsas externas e do petróleo tendem ajudar na recuperação da Bovespa no dia. Ademais, a decisão da Moody´s de elevar o rating da Vale com perspectiva positiva e liberação pelo TRF/1º região para que a Petrobrás dê continuidade à licitação da plataforma de Libra corroboram o viés positivo para a bolsa doméstica.
Juros: a agenda fraca prevista para o dia direciona as atenções para a possibilidade da Câmara votar o projeto que regulamenta a terceirização e para a crise de carnes. Este último preocupa os investidores por conta do potencial efeito negativo sobre a economia nacional. Por outro lado a terceirização traz viés positivo. Porém deve pesar o movimento no câmbio que tende a pressionar para baixo a curva à termo de juros diante da queda do dólar ante ao real e divisas externas.
Dólar: a queda do dólar frente ao real nesta abertura devido ao ambiente positivo lá fora tende a manter o movimento ao longo do dia. Além disso, fluxo comercial positivo reforça a perspectiva.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.