Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 21/01/2019

Brasília, 21 de janeiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a semana abre com feriado nos EUA que pode reduzir a liquidez das praças financeiras globais. Na Ásia, dados de PIB, vendas no varejo e produção industrial da China em linha com as projeções dos analistas auxiliaram os mercados do outro lado do mundo, mas relatos de poucos avanços nas discussões comerciais sino-americanas referente a propriedade intelectual deixa o clima cauteloso. Por ora, bolsas europeias, petróleo e commodities caem, enquanto o dólar sobe frente as moedas externas.

Interno: o noticiário em torno do caso do ex-assessor de Flávio Bolsonaro e suas potenciais consequências para o ambiente político causam preocupações entre os invetidores domésticos. Ademais, a participação da comitiva brasileira no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, geram expectativas, principalmente com o compromisso do governo na aprovação da reforma da Previdência. As apostas dos agentes é de que o presidente, Jair Bolsonaro pode redobrar o foco na agenda econômica (Previdência), para compensar os efeitos negativos do caso que envolve o seu filho.

Bolsa: a baixa nos mercados acionários europeus e das commodities e escalada recente do Ibovespa devem propiciar uma correção de preços no índice paulista. Assim, a bolsa brasileira deve operar em queda no pregão regular.
Juros: a alta do dólar ante as moedas externas manutenção do desgaste com o caso do ex-assessor de Flávio Bolsonaro tendem a impactar para cima os juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a conjuntura internacional desfavorável para moedas emergentes por conta das especulações de pouco avanço nas negociações comerciais entre EUA e China associado ao noticiário interno ruim sobre o caso do ex-assessor de Flávio Bolsonaro devem impor alta do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.