Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 20/06/2018

Brasília, 20 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais aproveitam a trégua na tensão comercial entre China e EUA para continuar ajustando os preços positivamente. A ausência de fatos novos na escalada protecionista norte-americana ajuda a alivar as tensões e faz bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova Iorque a operar no azul. As commodities agrícolas e o petróleo sobe, enquanto o dólar cede ante a maioria das divisas externas.

Interno: o tema político volta a cena depois que a 2º turma do STF absolveu a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e seu marido Paulo Bernando das acusações de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Tal situação gera preocupações por conta do julgamento do pedido de suspensão da prisão do ex-presidente Lula por esta turma da suprema corte. Na agenda, a decisão do Copom será o destaque já que os agentes esperam manutenção da taxa Selic em 6,5% por conta da atividade fraca e inflação baixa. Os operadores querem avaliar o comunicado que segue da decisão para vislumbrar a condução da política monetária nos próximos meses.

Bolsa: o alívio externo com as tensões comerciais entre as duas maiores economia do mundo (EUA e China) devem manter o Ibovespa no rumo positivo.
Juros: a expectativa de manutenção da taxa Selic em 6,5% ao ano na reunião do Copom no fim do dia e cenário internacional melhor tendem a colocar a curva de juros em baixa no pregão regular.
Dólar: em meio a trégua na tensão comercial entre China e EUA nesta abertura, o dólar operava há pouco em queda ante a maioria das divisas externas. Na seara política, a absolvição da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, pela 2º turma do STF pode indicar um sinal alvissareiro para o pedido de suspensão da prisão do ex-presidente Lula. Por ora, espera-se ligeira depreciação do dólar ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.