Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 20/06/2017

Brasília, 20 de junho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: agenda esvaziada direciona as atenções para os patamares elevados dos índices de bolsa norte-americanos S&P 500 e Dow Jones. Na Europa, o início efetivo das negociações da saída do Reino Unido da União Europeia segue no radar diante dos potenciais impactos econômicos.

Interno: o clima deve continuar apreensivo por conta da notícia de que a Polícia Federal apontou indícios de corrupção passiva do presidente Temer e Rocha Loures e que solicitou mais cinco dias para encerrar a investigação em curso. Quanto a pauta política, a reforma trabalhista tem previsão de votação, hoje, na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. Na agenda econômica, destaque para os números do Caged de maio cujo dado tende a mostrar criação de empregos.

Bolsa: a despeito do sangue frio demonstrado pelos investidores nas últimas sessões, a perspectiva ainda é de operações defensivas por parte dos agentes econômicos. As dúvidas sobre a capacidade do governo de avançar com as reformas será novamente testada hoje, com a votação do texto trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais do Senado.
Juros: a perspectiva de que a taxa Selic continuará caindo tende a manter a curva à termo de juros oscilando em bandas estreitas. As dúvidas quanto ao avanço das reformas deve pressionar para cima dos prêmios dos DIs de vencimentos mais longos na estrutura à termo de juros.
Dólar: o ganho do dólar ante as demais divisas internacionais e as dúvidas quanto ao avanço das reformas fiscais no âmbito doméstico tendem a depreciar o real em relação a moeda norte-americana.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.