Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 19/12/2017

Brasília, 19 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados operam com fortes expectativas com a reforma tributária dos EUA que pode reduzir o imposto sobre as empresas de 35% para 21%. Vale lembrar que os patamares recordes no qual se encontram as bolsas americanas pode inibir uma escalada mais intensa dos ativos de risco. No momento, bolsas europeias e moedas internacionais operam com volatilidade, enquanto o petróleo sobe.

Interno: a decisão do ministro do STF, Ricardo Lewandowski, no fim da tarde de ontem, de suspender a MP 805 que adiava o reajuste de funcionários federais para 2019 e aumentava a alíquota da contribuição previdenciária de 11% para 14% deve pesar na intenção do governo de controlar os gastos públicos. A Medida poderia economizar para o Governo entre R$ 4 e 7 bilhões, segundo diferentes estimativas. Ademais, eventos (reforma da Previdência) e incertezas (situação política do ex-presidente Lula) para o início de 2018 deve sustentar quadro instável.

Bolsa: judicialização de medidas fiscais, como a suspensão de alguns pontos da MP 805 pelo ministro Lewandowisk e volatilidade dos mercados financeiros externos tendem a impactar negativamente o Ibovespa.
Juros: preocupações com a situação fiscal brasileira diante da decisão do ministro do STF, Lewandoswisk, de suspender artigos da MP 805 que adia em um ano o reajuste do funcionalismo federal e eleva a contribuição previdenciária deve pressionar a curva de juros. Além disso, risco de rebaixamento da nota de crédito do Brasil segue no radar. Assim, os DIs de médio e longo prazo devem operar com uma pequena alta. Os vencimentos dos vértices mais curtos devem rondar a estabilidade.
Dólar: fortes expectativas de aprovação da reforma tributária dos EUA e cautela com o ajuste fiscal do governo Temer tendem a apreciar a moeda norte-americana frente ao Real. No entanto, leilão de linha de até US$ 2 bilhões, a ser realizado pelo Banco Central, e recente alta do dólar podem limitar o movimento da taxa de câmbio doméstica. Desse modo, espera-se o dólar tende a oscilar no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.