Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 19/08/2019

Brasília, 19 de agosto de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Expectativas de novos estímulos monetários e de medidas fiscais de grandes economias, como China e Alemanha, estendem a melhora observada na sexta-feira. A China anunciou mudanças no sistema de taxa de juros, com o objetivo de reduzir os custos de crédito, enquanto a Alemanha voltou a sinalizar a possibilidade de ampliar gastos fiscais, para fornecer suporte à atividade. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque, commodities metálicas e Petróleo sobem, ao passo que o dólar oscila frente as divisas externas.

Interno: O alívio externo deve estimular ganhos para os ativos de risco doméstico. Ademais, o Banco Central começa na próxima quarta-feira sua nova estratégia de atuação no câmbio onde serão usados três instrumentos: venda de dólares das reservas, swap cambial reverso (compra de dólares no mercado futuro) e swap cambial (venda de dólar no mercado futuro). Na agenda, o boletim Focus trouxe elevação nas expectativas para o PIB em 2019 e 2020, mas ao mesmo tempo houve redução na projeção de IPCA neste ano, de 3,76% para 3,71%.

Bolsa: A extensão da melhora no ambiente externo deve pautar a perspectiva de alta do Ibovespa para o dia.
Juros: A valorização do real frente ao dólar (tira pressão da inflação no curto prazo) por conta do quadro internacional positivo e recuo nas projeções de inflação deve contribuir para a queda dos juro futuros na sesssão regular (baixa, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O cenário externo positivo deve impor melhora para o real frente ao dólar. Desse modo, o dólar tende a ceder ante a moeda doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.