Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 19/04/2018

Brasília, 19 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a ausência de notícias sobre questões geopolíticas e conflito comercial direciona as atenções dos investidores internacionais para eventos econômicos. Para hoje, indicadores de atividade dos EUA e discursos de autoridades do Fed serão monitorados pelos agentes. Quanto as commodities, o petróleo opera em alta, após relatório de estoques dos EUA mostrar redução e declaração da Arábia Saudita de que gostaria de ver avanço maior nos preços do insumo. Nas praças acionárias globais as cotações oscilam sem direção definida.

Interno: sem agenda de indicadores relevante, os agentes domésticos seguem avaliando os discursos pró-mercado de candidatos à presidência que devem seguir uma linha econômica ortodoxa. No momento ainda persiste a indefinição eleitoral diante das movimentações no STF, com a continuidade do julgamento do habeas corpus de Paulo Maluf.

Bolsa: O quadro internacional ligeiralmente mais volátil deve limitar o impulso esperado para o Ibovespa no dia. O rali recente das commodities deve ajudar os papéis domésticos mesmo diante as incertezas eleitorais que ainda prevalecem.
Juros: Depois da queda de ontem dos DIs, a curva à termo tende a recuperar prêmios nos vencimentos de médio e longo prazo acompanhando o movimento de apreciação do dólar ante as moedas emergentes. Ademais, leilão de títulos públicos pelo Tesouro também deve corroborar as perspectiva de alta dos juros futuros.
Dólar: A alta do dólar ante as moedas emergentes e três quedas consecutivas da moeda norte-americana ante ao real são fatores que devem impor depreciação da divisa local.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.