Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 19/01/2018

Brasília, 19 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: ambiente internacional segue positivo nesta manhã, apesar da incerteza sobre o orçamento do governo norte-americano que caso não seja aprovado pelo congresso pode paralisar as atividades do Estado. Quanto ao petróleo, a Agência Internacional de Energia prevê uma expansão da produção da commodity nos EUA este ano, diante dos preços elevados. Por ora, petróleo cai, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova York operam em alta.

Interno: a aproximação do julgamento do ex-presidente Lula reacende o debate político com chance de provocar alguma volatilidade no preço dos ativos financeiros domésticos. Ademais, reportagem do Estado de São Paulo indica que o governo pode usar até R$ 30 bilhões para ampliar a base de apoio a reforma da Previdência.

Bolsa: o clima externo favorável a manutenção do bom humor dos investidores tende a contribuir positivamente para que o Ibovespa continue desafiando as resistências técnicas. No entanto, a queda do petróleo pode afetar os papéis da Petrobrás e limitar a euforia da bolsa paulista.
Juros: a agenda de indicadores local fraca tende a direcionar as atenções dos investidores para o imbróglio político sobre o orçamento norte-americano e para as expectativas em torno do julgamento do ex-presidente Lula na próxima semana. Nesse sentido, os DIs de curto prazo devem operar na estabilidade, enquanto os demais vencimentos tendem a subir ligeiramente.
Dólar: a alta do dólar ante as divisas emergentes e negociações no Congresso americano para evitar uma paralisação parcial do governo são vetores desfavoráveis para a taxa de câmbio doméstica. Por outro lado, a captação externa do Tesouro Nacional no montante de US$ 1,5 bilhão e ambiente externo mais propenso ao risco podem provocar volatilidade nas cotações de câmbio local.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.