Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 18/06/2018

Brasília, 18 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a escalada dos conflitos comerciais entre EUA e China com a imposição pelo governo Trump de aplicar tarifas de 25% sobre US$ 50 bilhões em produto chineses provoca a retaliação por parte do país asiático em alíquota idêntica em mercadorias norte-americanas. Além disso, a reunião da Opep e com outros países produtores de petróleo, nessa semana, também gera preocupações já que há expectativas de expansão da oferta da commoditie. No momento, bolsas europeias, futuros de bolsa de Nova Iorque e commodities caem, enquanto o dólar sobe frente as divisas emergentes.

Interno: investidores voltam a monitorar o ambiente político diante da decisão do ministro do STF, Edson Fachin, de encaminhar para a segunda turma da instituição o pedido de liberdade solicitado pelos advogados do ex-presidente Lula. Ademais, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) enviará hoje ao STF parecer no qual afirma que o tabelamento dos fretes rodoviários tem graves efeitos sobre o consumidor. Na agenda, a semana reserva decisão do Copom (quarta-feira) e IPCA-15 (quinta-feira).

Bolsa: os desdobramentos da disputa comercial entre EUA e China mantêm investidores na defensiva e faz as commodities cederem. O vencimento de opções sobre ações por aqui também será fator de volatilidade nos papéis domésticos. Nesse sentido, a Bovespa deve sentir os efeitos externos e trabalhar em baixa no dia.
Juros: a conjuntura externa ruim deve pressionar os DIs por conta da alta do dólar sobre as moedas emergentes. Por outro lado, a manutenção de oferta de papéis publicos pelo Tesouro e a fraqueza da economia tendem a retirar prêmios da estrutura à termo de juros.
Dólar: o cenário externo deteriorado e o risco eleitoral brasileiro tendem a deixar o real depreciado frente ao dólar. Nem mesmo a oferta de US$ 440 milhões pelo Bacen deve reverter a perspectiva para a taxa de câmbio local.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.