Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 18/05/2017

Brasília, 18 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: o agravamento do cenário político nos EUA, que envolve o governo Trump gera temor entre os investidores internacionais diante da menor condição política para implementar a agenda econômica de redução de impostos e investimentos em infraestrutura. Nesse sentido, a aversão ao risco permanece com queda das bolsas, das commodities, e alta do dólar ante as demais divisas.

Interno: não bastasse a crise política nos EUA, os novos desdobramentos da operação Lava Jato praticamente inviabilizam a continuidade do governo e da agenda de reformas. A delação do presidente do Grupo J&F, Joesley Batista, no qual compromete em gravações o presidente Michel Temer abala o ânimo dos investidores locais que devem vender ativos de risco (bolsa, etc).

Bolsa: conjuntura externa ainda conturbado pela crise política nos EUA e as incertezas sobre o desfecho do governo Temer, após a delação de Joesley Batista, tendem a derrubar a Bovespa com chance de acionamento do instrumento circuit breaker.
Juros: a nova turbulência no campo da política nacional que envolve o presidente Michel Temer devem impor rodada de elevação dos prêmios ao longo de toda a estrutura à termo de juros.
Dólar: aversão ao risco predominando no exterior só deve intensificar a tendência de alta do dólar ante ao real. As revelações do executivo Joesley Batista, do Grupo JBS, ontem à noite, sobre conversas gravadas em que o presidente Temer teria dado aval para a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha, segundo informação do O Globo, serão o gatilho para uma forte apreciação da divisa norte-americana contra a moeda nacional.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.