Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 18/04/2017

Brasília, 18 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:na reabertura das praças financeiras europeias em tom cauteloso, investidores internacionais operam com viés negativo diante das incertezas das eleições francesas e da antecipação das eleições parlamentares no Reino Unido para junho. Ademais, as tensões geopolíticas recentes (Coreia do Norte) completam o quadro externo adverso.

Interno: a ata do Copom deve ser ofuscado pela leitura do texto final da reforma da Previdência na Comissão Especial, em meio aos rumores de que a flexibilização de alguns pontos nas últimas horas possa comprometer a economia de médio e longo prazo das contas públicas.

Bolsa: conjuntura externa em tom negativo com bolas e commodities operando em baixa associado ao quadro político local no que tange a qualidade da reforma da Previdência tendem a pesar no Ibovespa. A retirada de R$ 1,2 bilhão de estrangeiro da bolsa no último dia 12 mostram a preocupação dos investidores com relação a capacidade do governo em implementar reformas em um ambiente de delação premiada da Odebrecht.
Juros: expectativas com relação ao texto final da reforma da Previdência devem pesar mais nos negócios do que a divulgação da ata do Copom cujas previsões são de que o documento reforce o cenário de queda rápida da taxa Selic condicionada a implementação das reformas pelo governo federal. Assim, a parte curta da curva tende a operar na estabilidade, enquanto os vencimentos mais longos devem operar em queda.
Dólar: cenário externo com viés negativo e relatório final sobre a reforma da Previdência tendem a pressionar o câmbio doméstico. Espera-se que a paridade real/dólar opere no dia de forma volátil por conta também da ata do Copom que deve mostrar perspectiva de manutenção do ritmo de queda da taxa Selic.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.