Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 18/03/2019

Brasília, 18 de março de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os mercados abrem a semana com ganhos nos principais ativos financeiros (bolsas e commodities) em meio às expectativas com reuniões de Bancos Centrais (Fed dos EUA, Bacen do Brasil, da Tailândia, da Indonésia e de Filipinas), desenvolvimentos geopolíticos e dados econômicos. Na Europa, as ações do Deutsche Bank e do Commerzbank, os dois maiores bancos da Alemanha, estimulam os ganhos no velho continente, após as duas instituições anunciarem ontem que deram início a conversas para uma possível fusão. Já o pré-mercado do Dow Jones opera no negativo diante da decisão do Departamento de Transporte de examinar a certificação do modelo da Boeing 737 Max. Também será monitorado a indicação do Fed (Banco Central norte-americano) com investidores esperando uma postura de manutenção do juro ao menos até o fim de 2019. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities operam em alta, enquanto o dólar cede ante ao euro e divisas emergentes.

Interno: As negociações em torno da reforma da Previdência dos militares está no foco dos investidores domésticos já que parlamentares reclamam da falta do projeto para iniciar as discussões. O governo tem intenção de apresentar a proposta dos militares na quarta-feira, 20, ao Congresso. Na agenda, a previsão de desempenho fraco para o indicador de atividade do Banco Central (IBC-Br), por conta das quedas da indústria e do setor de serviços, será o destaque.

Bolsa: O cenário externo melhor e expectativa de apresentação da reforma da Previdência dos militares na semana devem se sobrepor a perspectiva de queda da atividade econômica brasileira prevista para o indicador do Banco Central (IBC-Br). Assim, o Ibovespa tende a subir puxado por papéis ligados a commodities como Petrobrás, Vale, Gerdau e Cosan.
Juros: A fraqueza do dólar ante as moedas emergentes (tira pressão na inflação no curto prazo) e expectativas com o avanço da reforma da Previdência tendem a direcionar para baixo os juros futuros (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O bom desempenho dos preços das commodities lá fora e a melhora do humor dos players estrangeiros associado a perspectiva de avanço da reforma da Previdência devem ajudar o real a ganhar valor frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.