Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 18/01/2018

Brasília, 18 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: permanece o bom humor dos investidores nos mercados internacionais favorecidos pelo crescimento acima do esperado do PIB chinês (6,9% em 2017). Nos EUA, avanço das conversas para evitar uma paralisação das atividades do governo também estimulam o otimismo. Por ora, bolsas europeias operam em sua maioria em alta e futuros de bolsa de Nova York seguem no azul. Quanto ao câmbio, dólar cede ante a maioria das divisas internacionais.

Interno: incertezas seguem no foco, como o caso do afastamento dos vice-presidentes da Caixa, e a proximidade do julgamento do ex-presidente Lula. Os problemas da Caixa geram preocupações, pois podem respingar no governo com informações de que um dos vice-presidentes afastados manteve encontros com Michel Temer. Quanto a agenda de indicadores, a segunda prévia do IGP-M veio em 0,82%, acima da mediana das expectativas do mercado, 0,75%, porém desacelerando em relação à divulgação anterior, 0,88%.

Bolsa: o rali impressionante do Ibovespa que superou os 81 mil pontos ontem deve servir de motivo para que o índice acionário paulista passe por ajustes na abertura. No entanto, o bom desempenho da economia chinesa e a euforia dos invetidores externos devem impulsionar novamente os papéis locais.
Juros: a expectativa com o leilão de títulos públicos pelo Tesouro Nacional deve impor alguma pressão de alta na curva de juros futuros. Ademais, crescimento melhor que o esperado da China tende a agregar prêmios na estrutura à termo de juros.
Dólar: a queda do dólar ante a maioria das divisas internacionais e perspectivas de ingressos de capitais externos, por meio de Ofertas Públicas de Ações e de captação corporativa lá fora, ajudam na paridade cambial doméstica. No entanto, incertezas na política orçamentária dos EUA e indefinições locais devem provocar volatilidade na taxa de câmbio nacional.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.