Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 17/11/2017

Brasília, 17 de novembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: depois de uma sessão positiva observada ontem, investidores voltam a operar na cautela por conta do impasse com a reforma tributária nos EUA, com dois projetos distintos avançando na Câmara e no Senado. O câmbio está refletindo essa preocupação, com o dólar subindo ante as moedas de países emergentes. Por outro lado, bolsas europeias e commodities trabalham no azul.

Interno: os agentes seguem atentos às articulações políticas visando as discussões da reforma da Previdência. Ademais, o descontingenciamento de recursos do orçamento, entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões, para os ministérios tocarem os programas até o final do ano pode servir de pretexto para os investidores movimentarem os ativos financeiros locais.

Bolsa: embora as commodities e bolsas externas estejam subindo, investidores locais tendem a trabalhar na cautela diante das incertezas políticas no que tange a reforma da Previdência, bem como pelo feriado na próxima segunda-feira em São Paulo. Nesse sentido, abre espaço para que haja correção de preços após os ganhos de ontem.
Juros: sem agenda de indicadores relevante no dia e baixa liquidez diante da véspera de feriado na próxima segunda-feira em São Paulo a curva de juros deve operar na estabilidade.
Dólar : a queda do dólar ante ao real ontem e as incertezas quanto ao desenrolar da reforma da Previdência por aqui e a tributária, nos EUA, devem pressionar a divisa norte-americana e impor ligeira perda da moeda doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.