Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 17/07/2017

Brasília, 17 de julho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a semana começa com dados melhores que o esperado do PIB da China que registrou alta de 6,9% no 2T17, ante a 6,8% estimado pelos analistas. No entanto, tal evento não está sendo suficiente para impulsionar os ativos financeiros de risco. As preocupações com a segunda rodada do Brexit em Bruxelas e a apreensão com a reunião de política monetária do Banco Central Europeu – BCE – deixam investidores na retaguarda.

Interno: o recesso parlamentar a partir de amanhã esfria, por ora, as tensões políticas e direcionam as atenções dos investidores locais para a agenda de indicadores previsto para a semana. A deflação do IGP-10 (-0,84%) e as perspectivas de inflação e juros em baixa, conforme apurou o boletim Focus, ajudam os operadores nacionais a movimentar os negócios.

Bolsa: em que pese os dados positivos vindo da China que ajudam as mineradoras e siderúrgicas, a sequência de cinco pregões consecutivos de alta deve ser mais forte e impor perda para o Ibovespa no dia.
Juros: com a desaceleração da atividade política, os investidores locais estão atentos aos indicadores macroeconômicos, sobretudo de inflação. A deflação do IGP-10 e queda nas expectativas de IPCA e Selic para 2017 e 2018 corroboram um movimento de baixa dos DIs. Por outro lado, como o mercado já praticamente precificou uma queda de 100pbs na taxa básica prevista para semana que vem, a curva à termo deve operar na estabilidade.
Dólar: o início do recesso parlamentar e o recente movimento visto na semana passada em que o dólar cedeu do patamar de R$ 3,30 para abaixo de R$ 3,20 devem ajudar os investidores domésticos a operarem de forma mais neutra. Nesse sentido, espera-se que a taxa de câmbio trabalhe na estabilidade no dia por conta da baixa aversão ao risco lá fora, bem como pelo ambiente político ameno internamente.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.