Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 17/04/2017

Brasília, 17 de abril de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo:mercados internacionais operam com menor liquidez diante do feriado da Páscoa nas praças europeias, mas de olho no PIB do 1º trimestre da China que exibiu crescimento de 6,9%, acima do esperado pelos agentes de 6,8%. Por outro lado, a tensão geopolítica segue no radar ligadas neste momento a região das Coreias.

Interno: a semana começa com expectativa pela apresentação do relatório da reforma da previdência prevista para amanhã. Ademais, ata do Copom, IBC-Br e IPCA-15 devem direcionar o preço dos ativos domésticos na semana encurtada pelo feriado de Tiradentes. Em que pese a agenda de indicadores apresentar viés positivo para a semana, as incertezas quanto a reforma da Previdência devem segurar o ímpeto dos investidores domésticos.

Bolsa: em dia de mercado externo mais fraco em termos de volume, o Ibovespa tende a exibir alguma recuperação após três pregões de queda. Além disso, a melhora do IBC-Br de fevereiro e perspectivas de que a taxa de juros básica continue caindo dão viés positivo para o mercado acionário local.
Juros: pesquisa Focus revelando projeção de queda para o IPCA de 2017 e 2018 e também para o PIB deste ano aliado a queda do dólar ante ao real devem pesar mais no comportamento da curva à termo de juros.
Dolar: a decisão do Banco Central de fazer a rolagem integral do vencimento de 127.875 contratos de swap cambial de maio (equivalentes a cerca de US$ 6,389 bilhões) conjugado com a queda da divisa norte-americana no exterior nesta manhã tendem a apreciar o real contra a moeda Yankee. Adicionalmente, os números da economia chinesa melhores que o esperado justifica o ganho das moedas emergentes ante ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.