Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 16/08/2019

Brasília, 16 de agosto de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A semana encerra com os mercados financeiros revertendo o clima negativo que prevaleceu no período. A China anunciou que irá lançar um plano para impulsionar a renda disponível da população em 2019 e 2020 visando dar um impulso a economia do país. Vale ressaltar que os investidores internacionais continuam atentos aos desdobramentos da disputa comercial entre EUA e China. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities sobem, ao passo que o dólar oscila frente as divisas externas.

Interno: A trégua do pessismo no exterior ajuda os investidores domésticos a direcionarem as atenções para as reformas da Previdência, no Senado, e a reforma tributária, na Câmara. Ademais, as privatizações também estão no foco diante das possibilidades de envio de projeto de lei ao Congresso que autorize a venda da Eletrobrás.

Bolsa: A melhora no ambiente externo deve pautar a recuperação do Ibovespa que deve corrigir os preços (investidores aproveitam os valores baixos dos papéis para comprar) após a queda de 4,75% do índice na semana.
Juros: A forte elevação da curva de juros na semana deve ser corrigida (ajuste para baixo nas taxas de juros futuros pelos investidores), aproveitando a melhora da conjuntura internacional. Assim, os juros futuros tendem a cair na sesssão regular (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O cenário externo melhor e a valorização de 1,2% do dólar ante ao real servem de pretexto para a moeda doméstica ganhar valor em relação ao moeda norte-americana.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.