Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 16/04/2019

Brasília, 16 de abril de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A expectativa favorável com a temporada de balanços corporativos de empresas norte-americanas no primeiro trimestre anima os investidores internacionais. Contudo, preocupações com o desempenho econômico na região do euro seguram o ímpeto no velho continente. A agenda prevê crescimento moderado da produção industrial dos EUA. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas dos EUA sobem, ao passo que as commodities agrícolas depreciam-se. O dólar ganha valor frente as demais divisas externas em movimento de recomposição de perdas recentes.

Interno: As atenções estão voltadas para as discussões sobre a reforma da Previdência que devem ser retomadas na CCJ, com expectativa de votação da admissibilidade apenas na próxima semana. Outro ponto de extrema atenção está relacionada a reunião do presidente Bolsonaro com ministros e diretores da Petrobrás para discutir a política de preços da empresa. Os agentes seguem preocupados com o risco de que o governo adote medidas que possam prejudicar as contas públicas ou a própria estatal petrolífera.

Bolsa: O imbróglio em torno da política de preços da Petrobrás deve se sobrepor ao ambiente externo positivo para as bolsas. Assim, o Ibovespa tende a cair no dia.
Juros: A recomposição das cotações do dólar frente as moedas internacionais (gera pressão de curto prazo na inflação) e possíveis medidas do governo que podem onerar ou as contas públicas ou a Petrobrás tendem a pressionar os juros futuros e impor viés de alta para as taxas (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: O fortalecimento do dólar ante as moedas externas e possíveis medidas do governo para o transporte rodoviário que pode envolver aumento dos gastos públicos ou afetar o desempenho da Petrobrás tendem a alvancar a alta da divisa estadunidense frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.