Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 16/04/2018

Brasília, 16 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: o ataque ao regime sírio por forças norte-americanas, inglesas e francesas considerado de alcance limitado por analistas alívia a pressão nas praças financeiras internacionais. Ademais, os EUA devem impor novas sanções econômicas contra a Rússia hoje por causa da Síria. No momento, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova York operam em alta moderada, apesar das tensões geopolíticas ainda estarem no foco. O petróleo caía em meio a um movimento de realização de lucros, depois de acumularem ganhos superiores a 8% na semana passada por conta das preocupações no Oriente Médio.

Interno: a pesquisa Datafolha deste último domingo traçou nove cenários na corrida presidencial e revelou que no quadro com Lula participando em três destes cenários ele oscila entre 30% a 31%, na liderança, à frente de Jair Bolsonaro (15% a 16%) e Marina Silva (10%). O resumo das pesquisas mostra que a prisão de Lula enfraqueceu sua candidatura, pois tinha 37% das intenções de voto antes. Marina aparece como a maior herdeira dos votos do ex-presidente, ao passo que Bolsonaro está tecnicamente empatado com a candidata da Rede. O destaque foi para o nome de Joaquim Barbosa que apareceu com 9% dos votos, contra 6% do tucano Geraldo Alckmin.

Bolsa: o alívio temporário com as tensões geopolíticas com a situação da Síria tendem a colaborar positivamente para a Bovespa no dia. No entanto, o exercício de opções sobre ações e as incertezas políticas, após a pesquisa Datafolha, devem provocar volatilidade nos papéis domésticos.

Bolsa: O alívio temporário com as tensões geopolíticas com a situação da Síria tendem a colaborar positivamente para a Bovespa no dia. No entanto, o exercício de opções sobre ações e as incertezas políticas, após a pesquisa Datafolha, devem provocar volatilidade nos papéis domésticos.
Juros: O alcance limitado do ataque à Síria pelos EUA, Reino Unido e França e o cenário eleitoral de incerteza devem impor oscilação em margens estreitas da curva de juros doméstica.
Dólar: A pesquisa eleitoral Datafolha mostrando quadro de incertezas quanto as chances de um canditado reformista assumir a presidência tende a pressionar a taxa de câmbio local. Ademais, o cenário externo de alívio com as tensões envolvendo a guerra na Síria ajuda a diminuir a volatilidade do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.